« Voltar

CSJT e TRT9 desenvolverão editor de texto para PJe mais moderno e intuitivo

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) instituiu um grupo para desenvolver uma nova ferramenta de edição de textos com funcionalidades específicas para o Processo Judicial Eletrônico (PJe). O "EditorPJe" será desenvolvido e disponibilizado para todos os usuários do PJe, com previsão de que o início dos testes ocorram ainda no primeiro semestre de 2017. A nova ferramenta será concebida de modo a ser integrada no PJe 2.0, nova arquitetura disponibilizada pelo CNJ.
 
"O desenvolvimento desta ferramenta é importante, pois trará conforto de usabilidade aos magistrados, advogados e servidores que utilizam o Pje, já que o atual editor está aquém em termos de tecnologia. E isso será feito de modo colaborativo, com a coordenação do CSJT, trabalho de equipe de TI do TRT-9 e uma integração muito forte entre magistrados, servidores e advogados, para alcançar um resultado satisfatório a todos", destacou o coordenador nacional do Comitê Gestor Gestor do PJe na Justiça do Trabalho, juiz auxiliar da presidência do TST e CSJT, Fabiano Coelho de Souza.
 
Para subsidiar o trabalho, o Tribunal do Trabalho da 9º Região (PR) disponibilizará equipe técnica de desenvolvedores. Os requisitos, especificações e testes da ferramenta serão conduzidos pelo grupo instituído pelo CSJT, com participação de juízes de 1º grau, desembargadores, servidores de 1ª e 2ª instância, bem como do TST, além de representantes indicados pela Ordem dos Advogados do Brasil. O juiz Bráulio Gabriel Gusmão, titular da 4ª Vara do Trabalho de Curitiba, será o coordenador da equipe. "Há muito tempo os magistrados pedem uma ferramenta que apoie a construção de textos jurídicos no próprio computador ou mesmo off-line," explicou Gusmão. "Será um assistente com inteligência para dar agilidade ao trabalho do magistrado", complementou. 
 
Em uma primeira reunião, realizada no dia 16 de dezembro de 2016, o grupo apresentou o projeto do "EditorPJe" ao presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, desembargador Arnor Lima Neto, que informou que o Tribunal dispensará os melhores esforços para contribuir no planejamento e construção da solução tecnológica.
 
Taciana Giesel (com informações do TRT 9ª Região)
Permitida a reprodução mediante citação da fonte ASCOM/TRT14
Siga o Twitter @TRTNoticia - (69) 3218-6371